Disse que diz que me diz ♪

17 out

“Nos anos 70 a TV Globo me proibiu. Foi além da Censura, proibiu por conta própria imagens minhas e qualquer menção ao meu nome. Amanhã a TV Globo pode querer me homenagear. Buscará nos arquivos as minhas imagens mais bonitas. Escolherá as melhores cantoras para cantar minhas músicas. Vai precisar da minha autorização. Se eu não der, serei eu o censor.”

Chico Buarque, para O Globo, acerca das biografias e o direito de auto-censura em detrimento das falsas fontes.

Vejam só, é muito simples dizer algo e colar uma fonte.

Ser Arte (o)

9 maio

A obra continuava lá.

E ela, exacerbada quanto ao todo que ele havia passado, inconformada ante aos muitos tapas de repugno que assistira de camarote – e ainda assim ao seu lado –  os mestres (seriam hipócritas?) da vida lhe dar, lhe questionou, quase que em súplica:

– Eu tento. Me esforço em ver o que você vê, que tão pouca gente vê, que mais parece nem mesmo existir (e existira?)… Mas por mais que eu te ame; ainda que assine o testemunho de respaldo em seu favor, como a afiar o lado da adaga que não corta (não sabia ela, os dois lados da adaga o fazem) e te.. nos resguardar; por mais que eu caia em júbilos antes mesmo de você. Não é assim que o mundo gira. O mundo ceifa. Entendo-te – e a esta altura não sabia mais ela se nisto acreditava ou se para si mesma mentia – mas eles jamais te entenderão. Mas… Mas por que você não para?

E ele sem pestanejar, sem olhar para ela, sem olhar nem mais mesmo para a obra, como quem olha para o horizonte quando na verdade enxerga muito além deste, apenas respondeu:

– Porque é arte, mamãe.

Era arte. E tão real, que ela quase se sentia mesmo mãe dele.

Pãn! Pãn! Pãn!

6 maio

Era sábado.
Daí o despertador tocou e eu bati nele, claro.
Que débil mental opta por acordar cedo em um sábado?

7h20.

Às 8h10 eu deveria estar no Tatuapé.
Pensei [q tenho q]: Levantar, barba, banho, me trocar, verificar carro, arrumar mochila, pegar bomba, pegar bola, pegar, pegar, pegar, café, abastecer, #partir.

Pensei: “É muita coisas para fazer em pouco tempo.”

Pensei,
A vida é assim: muita coisa para fazer em pouco tempo.

Hora de levantar.
Era sábado, e eu estava vivo.
Era sábado.

#1

26 abr

Abre a porta.
Entram. Senta. Luz azul. Login. Olha no projetor. Facebook. Atualizações. Hello, aqui na frente! Facebook, desce, rola, sobe, clica. Porter. Oi? Curte. Exercício. Rola, desce, sobe. Tudo bem? Compartilha. Hey, aqui na frente. Sim e com você? Curte. Hey!! Desce, vizualiza, Compartilha…

Chamada.
Logout.
Intervalo.

Falta

25 abr

A pergunta é: no umbigo de quem gira o seu mundo?

#Dardos #Simetria #Foco #Chega Sms #Como foi o findi? #Expectativas #Superação #Obsessão

Anexos da Vida

23 abr

Anexos da vida, que às vezes baixamos e só ocupam nossa área de trabalho.

Não que não tenhamos tentado nos organizar. É que é tentador ficar a dois cliques de tudo que pode haver ali dentro. Rodamos e rodamos o mouse. Como evitar aquele ícone, tão chamativo no plano de fundo preto?

Selecionamos, selecionamos, selecionamos…

Tentamos limpar o disco. Mas por mais que certos boots devessem ser enviados direto para a lixeira, eles continuam ali. Nem tudo o que vivemos é fácil de remover. E parece que quanto maior era a pasta, mais fragmentos ela deixa.

Perda desnecessária de HD. Mas gostamos de nos ocupar de downloads que nunca acabam. Queremos para ontem e não para amanhã. De lag em quando, até damos uma atualizada.

Daí, num belo link de sol, surge aquele arquivo que parece ser perfeito para a sua rede. A Ram logo dispara. Você analisa, digita alguns caracteres, pensa, repensa, capta, recaptcha…

PAN! Hora de dar Enter?
Tantas coisas em nossas vidas não foram decididas depois de um simples enter…

Tem arquivos que encontramos e rola todo aquele plug-in, instantâneo e sem nem pedir aceite. Quando você nota, tudo já está compatível, como se aquilo sempre tivesse feito parte de sua navegação. Você já nem imagina como é executar certas coisas sem aquela extensão.

Mas alguns outros, que pareciam tão funcionais, revelaram-se grandes malwares. Por vezes você pensa: “bem que meu anti-vírus alertou, era melhor ter excluído!” Mas, como saber?

Hora de arriscar.

Já foi o clique, já foi o enter e não há mais espaços para apertar o esc e dar o fora. Sem minimizar! Agora, é tudo ou nada.
Você abre o arquivo e apresenta o seu conteúdo até mesmo para a sua placa Mãe. Analisa se ele é compatível. Numa dessas, você pode até aumentar seu desempenho. E se surpreende quando ele parece conhecer todos os seus cookies.

A parte ruim é que cedo o ou tarde tudo se corrompe. Sem avisar, começam os delays e quando você menos espera o HD queima. E por mais que você tente se preparar para isso,  tem vezes que não há backup no mundo que recupere todos os Gigabytes ali depositados. Fazer o que. Não tem lógica. Existem arquivos que para sempre ficam compactados, por mais que você os deszipe.

São Codecs da vida…
Hora de formatar.

Vem aquela clássica era de novos F5 e de procurar em velhas pastas os .exe amigos, todos de versões anteriores, mas que jamais te abandonaram e pararam de rodar. Incrível como ainda funcionam, os mesmo .exe de versões tão antigas.

E logo depois, você já está de volta na rede. E claro, sem deixar a net cair. Afinal, é com os uploads que compartilhamos por ái que a rede nos devolve os downloads mais lindos.

Quem sabe um dia desses não achamos search a fora a nossa extensão e a executamos para sempre?
O que importa, é ser natural. Tem arquivos por aí, dizem, que nem precisamos de senha para descompactar.

Divagações preliminares

7 out

A semana foi boa e um milhão de ideais ficaram na cabeça. Surgiram, como água, e foram sendo anotadas, para não tenderem o esquecimento, dada minha falta de tempo em colocá-las no papel. O fim de semana vem e eu sei que, seja agora ou seja depois, nada disso ficará perdido. Acontece, em partes. Por que afinal uma das grandes capacidades inerentes de um cronista é perceber no dia-dia dos pequenos detalhes as inúmeras possibilidades do que se pode dizer, e de como dizer; que história se quer contar ao mundo, afinal. O tempo é conturbado e entretanto, não tenho de que reclamar. Eu sabia bem que estes dois meses que viriam seriam os mais difíceis de toda esta fase e escolhi voltar, em meio a estes, mesmo assim. Pois de nada adianta ficar parado quando se quer muito alguma coisa e de nada adiantaria selar um acordo num período de paz. Acordos foram feitos com foco em guerras, seja para terminar ou uma, seja para incitá-la.

O tempo é de guerra, eu sei. Mas as peças foram postas ao tabuleiro e muito em breve este jogador que vos fala estará muito mais fortalecido. E é aí que a brincadeira começa. Até lá, vamos fazendo o que pudermos…

É um belo dia de Sol lá fora.

Passo à Passo de minha volta (em um rolê de sábado)

7 out

Você chegou em casa. Ouça sua mãe reclamando. Avance duas casas e vá direto para a cozinha.

Na cozinha (que é onde o panorama do rolê acontece), você poderá conversar suavemente, relembrando que o silêncio é um requisito, visto que sua avó dorme. Dentre o cardápio disponível: opções variadas que vão de pastéis gelados de sexta a pizzas frias de sábado, passando por sushis, sashimis e os tradicionais pães de queijo amanhecidos.

Desça com seus amigos para o porão. Afinal, sempre há algum nômade que você, por pura insanidade, topou que dormisse em sua casa.

Você está sozinho e com muito sono, acabado no pós-rolê. Dormir? Para os fracos! Hora de ligar o PC.

Verifique suas atualizações do Facebook. Note como todas elas são inúteis. Postagens bêbadas do tipo “Ow rolesx hjj foi foddaj” ou “putauqueriu, cmo eu to bewsbado! Haha amanha tem asguwe novantre ; )” são sempre bem-vindas.

Você desliga o computador. Uma boa pedida é ir ao banheiro. Pegue todas as tralhas que estão em cima da sua cama e jogue-as ao chão (afinal, você precisa dormir).

Atire suas roupas ao chão. Sua mãe ficará puta ao saber que terá de lavá-las. Mas mães existem para isso (você pensa).

Na cama, pense que felizmente amanhã é domingo e você poderá ficar à toa o dia todo. Se possível, mande uma sms para alguém da qual você tem grande chances de se arrepender depois.

Durma com um sorriso no rosto lembrando de algum fato da sua noite, ou de todos eles. Amanhã, nada disso fará sentido e o importante é curtir a brisa.

A noite acabou, mas a vida não. E tudo o que foi feito ficará com você para sempre. Todo rolê é único, afinal, e o que importa é que tenha valido a pena. Pois as lembranças, as sensações, ficam.

O sono vem e você dorme.
Amanhã, um novo dia.

Trocas

1 out

E quando olhei para o lado, ela já não estava mais.

#simples #trocas #olhares #pupilo #repercussão #milhas de distância #mais de um motivo #tornar-se #O que será que será?

We’ll wish this never ends

30 set

Essa é por ontem a noite. É pela tênue neblina na escuridão. É por caminhar sozinho por ruas solitárias. É por ter milhões de coisas para pensar e, ainda assim, pensar em uma única. É por às vezes se perder, é por às vezes se encontrar. Por se encontrar sozinho no meio de um monte de gente e, doravante, continuar só. É por se encher de palavras que você nem sabe como dizer, mas que ainda assim deveriam ser ditas. É por aproveitar o silêncio, ressonante no escuro, que nem sempre diz o que você quer ouvir. É por se sentir conectado a outro lugar onde você sabe que está, meio aqui meio acolá e ainda sim não sentir-se dividido. Você sempre soube o que queria. Uma hora, conseguimos ter. Nem que seja por insistência, nem que seja por pose, nem que seja por dedicação. É singela a noite, cheia de possibilidades, como um banco de palavras mal escritas e rabiscadas, prontas para articularem-se e tornarem-se uma composição. É suspirante o grande número de melodias que podemos compor com as exatas mesmas sete notas. Você ainda sabe o que quer ter. Você ainda sabe. Nem que seja por alguém, nem que seja por você.

Nem que seja pelo acaso, solitário a bailar, um elo oculto na escuridão, mas que ainda assim conecta vidas, pessoas, pensamentos e, antes de mais nada, histórias.

Ah! A vida é cheia de histórias…

Miss you.

%d blogueiros gostam disto: