Sons da Madrugada

19 dez

Domava o ego que eclodia seu peito
Recordava momentos de solidão
Mirava a janela à procura de olhares
Fazia triste a melodia de seu violão.
Solos distantes, de poucos acordes,
Lavavam sua alma em duas metades.
Simétricas metades lançadas ao vento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: